O Segredo versão Gospel

26 - maio, 2008

A Editora Mundo Cristão acaba de lançar em português o livro “O Princípio 4:8”. É um livro que trata sobre a felicidade e a importância de se mentalizar positivamente para obtê-la. Esse princípio tenta se ancorar em Filipenses 4:8:

Disciplina mental é a habilidade para manter seus pensamentos focados constantemente. Quando você usa o Princípio 4:8 como um filtro para os seus pensamentos, você foca em Deus e na bondade excluindo todo o resto. Como resultado você começa a desenvolver uma força mental (…)

Tradução livre do blogueiro

As conclusões do Senhor Tommy se baseiam em requentar as elucubrações de Carl Rogers sobre o “self”. Pense positivo, fortaleça a sua auto-imagem e você poderá fazer tudo que quiser. É uma versão gospel de “O Segredo”, mas voltado ao mercadinho evangélico.

Um amigo (também autor deste blog) disse que vai lançar o livro “O princípio 4:7 – detonando o princípio 4:8”. É impressionante o que se pode fazer ignorando qualquer princípio de interpretação de texto e hermenêutica. Paulo na carta aos Filipenses fala de estar alegre em quaisquer circunstâncias, incluindo sofrimento, prisão e angústia.

Transformar o Evangelho do Reino em livro de auto-ajuda é triste.

O link para o produto pode ser encontrado abaixo no site da Mundo Cristão:

http://www.mundocristao.com.br/produtosdet.asp?cod_produto=10624&cod_categoria=4


Starbucks e o “vale-muffin” – Parte II

24 - maio, 2008

Meu último café da noite (não meia mas inteira) no Starbucks:

Muffin e cia

Saiu a “bagatela” de R$ 25,40. Isso mesmo por:

  • Caramel Machiatto: o caramelo e a baunilha são muito bons e o café do Starbucks é excelente. Tirando a frescura de lado, é apenas um bom café com leite.
  • Muffin de mussarella de búfala, tomate e rúcula: esse é excelente. Lembra a torta salgada da mamãe mas em formato de muffin. A torta da mamãe sai mais em conta.
  • Capuccino: é um bom capuccino, mais pelo café de qualidade do que pela receita. Prefiro o do Kopenhagen com 2 kg de chocolate bom na xícara.
  • Cookie: é boa a consistência mas falta umas gotas de chocolate. A caixa de lata da Bauducco dá de 10.

Respondendo a pergunta: Starbucks vale a pena? Eu diria que geralmente não porque você acha coisas muito melhores por aí com preço mais em conta. É só andar por Sampa e procurar. Lembre-se, Starbucks é como o tênis Nike: você não compra porque ele é o melhor tênis do mundo, e sim porque ele tem o símbolo do chifre!


Starbucks: vale o quanto custa? – Parte I

20 - maio, 2008

Sempre olhei com desconfiança a chegada da rede Starbucks ao Brasil. Essa coisa de café vendido em mini baldes de papel é muito “americanóide”. Uma afronta a tradição do cafezinho brasileiro. O espresso é um momento, um estado que deve ser apreciado. Seja depois do almoço para adiar o retorno ao expediente ou para estender uma conversa com os amigos.

Lugarzinho apraz�vel

A afirmação acima mostra o quanto podemos ser no mínimo imprecisos (para não dizer ridículos) quando fazemos previsões a partir de estereótipos e pseudo-sócio-filosofia. As filas nas lojas da rede durante os vários dias da semana proclamam que Starbucks por enquanto é um sucesso. A empresa soube adaptar o gosto brasileiro pelo cafezinho ao jeito americano de vender bonitas soluções “in box”. OK: todo este pacote tem um preço bem salgado.

E aí? Vale a pena pagar R$ 2,90 por um bom café espresso apenas porque ele vem num simpático copo fechado?

P.S. Eu prefiro espresso na xícara de porcelana!


A verdade sobre Adão – parte I

15 - maio, 2008

Esta discussão surgiu em nosso último café: será que se estivesse no lugar de Adão eu teria feito a mesma coisa e desobedecido a Deus?

Embora a resposta tenha de forma unânime sido “SIM”, observamos um racha em nosso grupo “cafezístico” com dois lados:

A. Adão foi diferente de nós foi o primeiro homem. Criado perfeito por Deus ele conhecia o bem, mas não o mal. Adão não nasceu corrupto como nós e foi corrompido pelo pecado. Logo, ele teria tido a chance de evitar o pecado no mundo. Mas a pergunta que não quer calar: por que ele não o fez senão conhecia o mal?

B. Adão foi igual a nós pois foi feito do mesmo material (pó da terra). Embora não conhecesse o mal, tinha capacidade de fazer o mal como nós. Cometeu pecado trazendo maldição ao mundo. Portanto, assim como Adão, eu também tenho a mesma natureza pecaminosa e teria desobedecido a Deus assim como Adão fez. O pecado era algo certo tanto em Adão quanto hoje em mim.

Tanto lado A como B podem trazer implicações interessantes:

Se o lado A está certo, como Deus poderia julgar Adão se este não conhecia o mal? Hoje temos a capacidade de distingui-los, bem e mal, por causa da lei, dos profetas e sobretudo do Evangelho de Jesus. Mas Adão não conhecia nada disso, logo, condená-lo por fazer algo que não conhecia é errado e injusto.

Se o lado B for correto, o Éden era um jogo de cartas marcadas. Assim como não consigo parar de pecar, era certo que Adão pecaria. Logo, a queda foi inevitável. Como condenar Adão e qualquer homem pecador se o pecado é certo e estamos condenados a pecar até o fim de nossa vida? Como todos os homens são pecadores através de Adão se ele não teve escolha?

Existem boas respostas na Bíblia. Um estudo dos primeiros capítulos de Gênesis, o livro de Romanos e I Coríntios 15 pode jogar luz em vários detalhes. O que podemos concluir disso tudo é que o homem sempre tem escolha, e Deus não invade e arromba a porta de ninguém.

Quanto às nuances, bem… O Paulo Brabo tentou jogar luz sobre as áreas cinzentas, entre o lado A e B.

Sinceramente, eu não tenho coragem de elucidar paradoxos.


Vai pro trono ou não vai?

14 - maio, 2008

Essa é boa. Corrente de oração para aumentar o IBOPE:

http://noticias.uol.com.br/uolnews/celebridades/ooops/2008/05/12/ult2548u512.jhtm

Coisas do SBT.


Diogo, o Terrível

14 - maio, 2008

Eu sei que pode não parecer apropriado, mas gosto de algumas coisas que o Diogo Mainardi escreve. Abaixo um link de uma entrevista com ele feita pelo João Pereira Coutinho:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/joaopereiracoutinho/ult2707u369381.shtml

Apenas um trechinho da entrevista:

Você não acha que a corrupção, para os brasileiros, não é tão grave como seria para os europeus?

Corrupção é fruto de falta de democracia. Quanto mais avançada é uma democracia, menor o risco de corrupção. Uma imprensa independente ajuda a vigiar a classe política. Um judiciário independente também. Até a arte tem um papel no combate à corrupção. Ela oferece à sociedade ferramentas como iconoclastia, humor, visão crítica, senso estético, senso de proporção, agitação intelectual, inquietude existencial tudo isso aumenta nossa desconfiança e nossa insatisfação em relação às pessoas em geral e aos políticos em particular.

Então o problema central talvez não seja Lula, mas o Brasil.


O fariseu em frente e verso

12 - maio, 2008

Este teste ao melhor estilo “Capricho” vai te ajudar a identificar o fariseu que há em ti:

A (4 pontos). Você é muito pensador mas na prática a teoria é outra. Você é visto como um estrategista, visionário ou executivo, mas na hora de dar o primeiro passo para o abraço, a soliedaridade ou a coragem para ser misericordioso você pensa: “É  melhor deixar quieto e não criar contendas”. (aliás, isso é até “bíblico”)

B (3 pontos). Você é um ser motivador, afinal esta é a alma do negócio. Massagear o ego das pessoas é o ideal para se atingir os objetivos. Faça elogios (inclusive para si mesmo). Mostre em público piedade, bondade e outras “dades” que motivarão a todos.

C (3 pontos). Você se esforça para estar em todas. Deve ser visto e estar presente, senão fica chato! Aniversários, batizados, visitas a doentes, bodas de ouro, prata e papel. Se tiver que escolher os eventos, prefira os associados à igreja porque eles são sagrados. Se possível, ofereça-se para orar em público sempre que possível:
no início das refeições, no encerrar da cerimônia, antes de cantar o hino e sair, etc.

D. Se no item anterior você é sempre chamado a orar, marque mais 3 pontos.

E (depende). Você tem algum título ou cargo ligado ao clero? Seja diácono, presbítero, pastor, mestre. Para estes você pode marcar 3 pontos. Se você tem cargos “menos espirituais” ligados a administração financeira/logística, marque 2 pontos. Se você tem qualquer outro cargo marque 1 ponto. Se você cuida do som da igreja NÃO marque nada!

E. Quando você ora, qual(is) dos jargões você utiliza?
  (5 pontos) “Oh Deus de Abraão, Isaque e Jacó…”
  (3 pontos) Uso da palavra “unção” em pelo menos 3 frases da oração.
  (2 pontos) “Oh, Senhor! Porque em teu nome tudo posso naquele…”
  (2 pontos) “Porque onde há dois ou três…”    
  (1 ponto) Uso de qualquer frase com o verbo “amarrar” ou o “abrir/fechar de portas”.
  (1 ponto) Uso de qualquer frase com o verbo “mover”
  (1 ponto) O uso do gerúndio (“estar fazendo”) ou do subjuntivo (“que o teu poder”, “que a tua unção”) em mais de 2/3 da oração.

F. (4 pontos) Zeloso com a auto-disciplina: você tem horários, hábitos e manias relacionados aos eventos da sua igreja (desde o jeito de escovar os dentes
até as roupas que veste na missa, ops, culto da manhã). Se você se irrita com os outros para impor esses hábitos marque mais (3 pontos).

G. (5 pontos) Zeloso com as aparências: você é o primeiro a brigar para que tudo esteja na mais “perfeita ordem”. O horário ideal para o culto é X. A liturgia mais santa é “Y”. As cores para as toalhas da mesa na ceia do Senhor devem ser vermelhas e brancas para lembrar o “santo sacrifício”. A melhor decoração para o Natal deve ser…

Resultados:

Abaixo de 10 pontos: você não entende nada de religião e das “coisas de Deus”. Vá agora para uma reunião de oração!

Entre 11 e 20 pontos: você já foi introduzido ao mundo evangélico-gospel mas ainda falta uma dose de sacrifício e devoção.

Entre 21 e 29 pontos: você está prestes a ser indicado para um cargo de diácono.

Acima de 30 pontos: compre já o kit fariseu com túnica, medalhão e pedras bem pesadas…

Faça o teste e meça o seu índice farisaico.
Faça o teste com seus amigos ou em uma igreja perto de você.

P.S. Eu fui mediano. Sou um fariseu de gabarito regular com 16 pontos, mas ainda tenho chances…