Batistas capitalistas

12 - outubro, 2008

Olha só o que eu achei no site da convenção batista brasileira:

Cartão Batista Visa
O Cartão de Crédito Batista foi desenvolvido com o objetivo de contribuir para os projetos batistas definidos pelo Fundo Novas Fronteiras.

http://www.bradescocartoes.com.br/conteudo/cartoes/CartaoDetalhe.aspx?id=90&paramPag=EntidadesReligiosas

Não vou discutir se os meios de arrecadação são lícitos. Se afinal órgão religiosos ilibados como a Igreja Universal e a Renascer podem ter máquinas de cartão de débito em suas celebrações para arrecadação de dízimo, por que os batistas brasileiros não podem ter um cartão de crédito personalizado?

Uma pena que não vejo o mesmo empenho capitalista da Convenção no amparo ao Lar Batista de Crianças que está entregue a ingerência, o abandono e o caos.


Pêssego de chocolate

11 - outubro, 2008

Seguindo a série cafeterias em Campos do Jordão, provei o café fazenda pessegueiro no Aspen Mall em Campos do Jordão.

É um espresso doce parecendo quase achocolatado. Achei que fosse o excesso de espetos de morango cobertos de chocolate mas não, segundo o sítio da fazenda (!) é característico do blend a “mogiana”.

Um ótimo café para um final de refeição. Será que a versão de sachês é tão boa quanto essa?


A baronesa é chique

7 - outubro, 2008

Resolvi entrar no espírito de Campos do Jordão. No melhor estilo Amaury Jr. fui tomar café no bistrô Baronesa Von Leithner.

O bistrô de vários ambientes fica encrustado a beira da montanha. Em um dos ambientes é possível ver o pôr do sol com a Pedra do Baú ao fundo.

A decoração é podre de chique. Lustres que parecem valer um carro zero km. Pude quase ouvir o Amaury Jr. ao meu lado falando: “Ai minha Dubai…”

Não vou falar de preços porque isso não é elegante para um AAA que lê a Veja e toma café em bistrôs. Posso dizer que o fluxo monetário dispendido na foto abaixo poderia pagar um belo lanche no Mc Donalds.

O espresso custou mais que o Suplicy

O espresso custou mais que o Suplicy

Ah, sobre o café: é o conhecido Brazillian Coffee disponível nas principais maquinetas de espresso do Brasil.

P.S. Prepare-se para pagar R$ 5,00 para entrar no local se quiser apreciar a paisagem (ops, falei de preços).


Lavazza é legal

5 - outubro, 2008

A nova onda do café espresso é a dose da cápsula hermeticamente fechada. Tem vantagens consideráveis como a conservação perfeita e a dose certa do pó bem como a facilidade no preparo. A pressão e temperatura da água são reguladas automaticamente.

Você não corre o risco de ter um café “mal tirado”. Tudo vai depender da qualidade do blend e da pressão e temperaturas oriundas da máquina.

Provei o Lavazza numa cafeteria em Campos do Jordão ali no Capivari.

Lavazza em  campos

Lavazza em campos

Muito bom: sabor forte com bastante corpo, levemente adocicado. Acidez inexistente. Um café muito legal que custa a bagatela de R$ 2,90. Como tudo em Campos do Jordão tem preço estratosférico, não é tão extorsivo.

Ficou fácil ser barista! Basta um dedo, uma cápsula e uma máquina bem cara.