Fran’s: café de quinta?

21 - abril, 2010

Senão sabem qual é a minha opinião sobre o Fran’s 24h direi agora: uma franquia bem meia-boca que serve um espresso de blend próprio de qualidade com atendimento sofrível. O resultado será um café mal servido e tirado numa xícara gelada. Se você conseguir ser atendido em menos de 10 minutos entrará para o livro dos recordes.

Foi assim nas lojas da Av. Sumaré, na Al. dos Arapanés e na Praça Benedito Calixto.

Para deixar claro não freqüento o Fran’s da Haddock Lobo!

A exceção à regra é o Frans da Avenida Faria Lima perto do Largo de Pinheiros.

O atendimento senão é cortês ao menos é eficiente. A xícara não vem quente na temperatura ideal mas o espresso é bem tirado sendo possível aproveitar a qualidade do blend próprio. O local é bem agradável nada lembrando as cadeiras de metal desconfortáveis e as mesas abarrotadas da unidade na Av. Sumaré.

Ótimo lugar para encerrar o almoço de quinta-feira pós-feriado.

Anúncios

Ortodoxia generosa ou desastrosa?

18 - abril, 2010

“Jesus não tinha uma declaração de fé”
– do site
emergent us

A nova moda entre as igrejas que mais bombam nesse Brasil é jogar a declaração de fé no lixo. Uma igreja leve e pós-moderna que não ousa se colocar entre as ovelhas e Cristo. Quanto menos governo, regras e normas melhor. Vamos limpar o terreiro e dançar ao som da ortodoxia generosa.

Primeiro removeram a reverência. Depois a pontualidade e a fidelidade nas ordenanças. Ceia? Pra quê? Batismo? Blargh! Ir no culto ao domingo? Que importa? Deus está em todo lugar não é mesmo? Por que não se importaria de ficar ao meu lado enquanto assisto o Esporte Espetacular estirado no sofazão?

Assembléias, dízimos, serviço na igreja, escola domincal. Tudo para debaixo do tapete. Ouvi de um pastor da Teologia Batista da Libertação ao questioná-lo sobre a assiduidade dominical: “Vá viver a vida”. Deveriam colher um depoimento dele e colocar em uma das novelas do Manoel Carlos.

Nossas igrejas resumiram-se a um show musical finalizado por uma grande palestra motivacional realizada por um pregador celebridade Gospel. Agora removeram o último bastião que separa os cristãos protestantes do resto da maçaroca religiosa que se diz cristã. Sim, a declaração de fé!

Pois os emergentes americanos não perderam tempo e a retiraram de campo. Nós tupiniquins ignorantes que pousamos de latino-americanos revolucionários papagaiamos as idéias deles e as pioramos quando temos algum espaço e criatividade. Várias comunidades (famosas ou não) removeram a “declaração de fé” por a acharem inadequada, opressora e invasiva.

Talvez eles tenham que se entender com o Novo Testamento. A igreja primitiva não se cansava de se reunir para estabelecer regras e procedimentos para viver melhor e cumprir a sua missão (leia o livro de Atos). Paulo lista requisitos indispensáveis para os líderes nas cartas pastorais (Timóteo, Tito) e também o que fazer com cristãos não-ortodoxos (I Coríntios 5). Critérios de exclusão da comunidade dos salvos foram deixados claros e cristalinos por Jesus em Mateus 18.

Justo esse que os emergentes dizem que não tinha declaração de fé!

Talvez eles não queiram mesmo se entender com a Bíblia. Os argumentos da Palavra e a voz do Espírito já estão muito empoeirados debaixo de tanta Filosofia, Psicologia e Sociologia. Talvez haja esperança, talvez seja perda de tempo. Eles há muito tempo deixaram de seguir as Escrituras como única e suficiente fonte para o ensino e a disciplina. Estão todos na mesma lama: neo-pentecostais universais, pentecostais do horário nobre comprado, betesdenses-globais e batistas-psico-sociólogos.

Espécies que habitam uma arca de Noé inversa na qual quem embarca uma hora naufragará.


Passo #1: Como os gregos e etruscos questione tudo filosoficamente e coloque as Escrituras contra a parede.

11 - abril, 2010

“O começo de todas as ciências é o espanto de as coisas serem o que são”
(Aristóteles numa tarde quente de verão na Grécia antiga)


O sobrenatural ou espiritual está aí. Você pode ser um ateu radical que nega isso, mas ao fazê-lo você ao menos já percebeu que existe algo além do que vimos e pegamos. O homem desde o princípio tenta explicar como se dá essa relação entre o homem e o divino. Onde estará a linha entre o lado de cá e o de lá? O material e o sobrenatural, o tangível e o intangível?

Ninguém mais acredita na Hermenêutica e na existência dos autores bíblicos.
Nem o Pato Donald.

Sobre isso a Bíblia diz que no começo Deus andava no jardim próximo ao homem e que isso durou pouco (Gênesis 3:8). Nem o Saci acredita mais nessa história de Adão, Eva, Éden, Serpente, Dilúvio. Há igrejas mais modernas que ensinam que Noé foi um mito como o Hércules e o Pato Donald. Coisa chique, afinal não cai bem à Igreja ficar ensinando fábulas todo domingo.

Seguindo esse último exemplo percebi que o ateísmo evangélico para ser relevante precisa ler a Bíblia com outros olhos. Antigamente a boa Hermenêutica (ciência da interpretação) dizia que a intenção autoral era importantíssima para se extrair o sentido literal do texto. Inútil! Os autores do Antigo Testamento (Moisés, Samuel, Daniel) também são tratados com descrédito e considerados mito. Ninguém mais acredita na Hermenêutica e na existência dos autores bíblicos. Nem o Pato Donald.

Existe gente que pode embasar melhor as nossas idéias a cerca da Bíblia. Contra esses nada se pode dizer. Eles são senso e consenso comum, fazem parte do panteão da sabedoria humana. É uma velha tática de legitimação: use gente antiga (de preferência morta há muito tempo) para rubricar as suas idéias.

O segredo desses homens era questionar tudo para enfim ver a luz da razão. Questionem tudo e coloquem o próprio Deus no banco dos réus.

Sob esses requisitos os pensadores gregos são perfeitos. Esses iluminados praticamente inventaram o pensamento humano. Gostaria de estar lá para saber como foi o processo de invenção da razão e pensamentos humanos. Que métodos? Que experimentos? Incrível que numa tarde de verão na Grécia meia duzia de filósofos tenham inventado o pensamento humano.

Sim! Invoquemos Platão, Aristóteles e Sócrates. Eles sim podem extrair da Bíblia com a sua filosofia ensinamentos a respeito da verdade, da justiça e do bem para cumprir o nosso ideal  platônico. Podemos com a ajuda de Aristóteles extrair verdades espirituais antes  ocultas no meio da letra e experimentar um estado de maravilhamento quando finalmente perguntaremos: “Como ninguém percebeu isso antes? De onde esse pastor conseguiu extrair um sentido tão espiritual para esse versículo?”

O segredo desses homens era questionar tudo para enfim ver a luz da razão. Nada deverá ser poupado nesse processo. Questionem as doutrinas, o Corpo de Cristo, a salvação em Jesus e coloquem o próprio Deus no banco dos réus. Afinal foi assim que gregos e etruscos com suas caravelas saíram do mito ao maravilhamento humanista.

Por fim, três mitos que devem ser derrubados nesse seu primeiro passo rumo ao ateísmo evangélico:

1. Há coisas na Bíblia que não podem ser compreendidas: entenda tudo nesse mundo e além pela sua razão como 2+2 são 4 (lembre-se dos gregos e etruscos).

Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:do pecado, porque não crêem em mim;da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais;do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir (João 16:8-13).
2. A Bíblia e os seus ensinamentos são literais:  será que os autores bíblicos não tinham motivações políticas, sociais e obscuras ao escrever os textos? Você acha que Deus ia querer matar os egípcios, amalequitas e os filisteus? Você ainda pensa que Israel era povo escolhido mesmo ou já se convenceu de que puxaram a sardinha para a sua brasa? E você acha que Paulo mesmo perseguido obedecia às autoridades ou esse foi um “jeitinho romano” para que as suas cartas circulassem livramente?
Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia. (Romanos 9:14-15)
Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra? Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição. (Romanos 9:20-22)
3. O ensino dos apóstolos no Novo Testamento é a agenda da igreja atual: outro equívoco. Quem imagina nos dias de hoje repartir os bens para que alguns não passem fome? Não é absurdo e ultrajante alguns deixarem de comer carne por amor ao proximo ou as mulheres serem submissas aos seus maridos e permanecerem caladas? E a confissão de pecados? Coisa mais inconveniente e invasiva não acha?
Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema. (Gálatas 1:6-9)
Assim já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito. (Efésios 2:19-22)
Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo. (Colossenses 2:8)

Se quiser mistificar a Bíblia e sua história não leia as passagens.

Pare de ler a Bíblia e tudo ficará mistificado num piscar de olhos!

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós, sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, (II Coríntios 10:5)


Sobre Avatar, a cultura ocidental e o Outro

2 - abril, 2010

Do blog do JP Coutinho:

Avatar é isso: uma mistura de Pocahontas, Dança com Lobos e O Último Samurai, servido em formato 3D. E, sendo isso, não se distingue do primarismo que habita esse tipo de filme: o primarismo de olhar para culturas distintas como intrinsecamente superiores à cultura branca, ocidental e, de preferência, judaico-cristã.
Avatar é um filme sobre a culpa; o sentimento de culpa que assola as consciências progressistas; sobre “o fardo do homem branco” que ele, coitado, carrega há gerações para expiação dos seus pecados “imperialistas”. E dos pecados dos seus pais, de seus avós, e bisavós, e trisavós…
O que está ausente dessa visão é a ideia simplória de que a cultura branca, ocidental e judaico-cristã, apesar dos seus erros históricos (que os houve), também foi capaz de produzir uma civilização que garante ainda um espaço de liberdade, humanidade e decência que, muitas vezes, está ausente dessas culturas “intocadas”. Culturas onde a arbitrariedade do poder tribal; a violência física sobre os mais fracos; o animismo pré-científico; e até a mera bruxaria terapêutica não deveriam inspirar respeito. Só repulsa.
Um jornalista agnóstico às vezes consegue ser mais lúcido (ou menos louco) que muito pastor evangélico agnóstico.

Preguiça de espresso? Nespresso!

2 - abril, 2010

Para um feriado preguiçoso, vá tomar Nespresso.

Na cafeteria do Rascal sempre tem uma máquina dessas. O preço é tabelado: extorsivos R$ 4,50.

Não tem erro. Não precisa de barista. É enfiar a cápsula na máquina e apertar o botão: café excelente. Quanto aos sabores o espresso leggero é o que mais aprecio: levemente adocicado, muito encorpado sem qualquer acidez ou sabor torrado. Se você tem outras preferências existe um universo de opções.

Confira se a xícara vem quente e limpa ao menos.