Passo #5: Checklist liberal – você ainda acredita no Deus soberano e poderoso?

9 - outubro, 2010

“O primeiro pressuposto teológico que ruiu foi o da Providência”
Ricardo Gondim – sacerdote tupiniquim do Teísmo Aberto

Na metade de nossa caminhada algumas coisas são inadmissíveis. Um ateu-evangélico no quinto passo já não é inocente e tolo a acreditar em tudo que lê na Bíblia. O ateu-evangélico descolado já deve ter idéias claras sobre antigos conceitos que a sua igreja dizia serem bíblicos.

Se ainda está incerto sobre o seu êxito faça o pequeno checklist liberal abaixo e certifique-se de que assim como nosso líder-mestre Gondim, a fé no Deus Todo Poderoso e Soberano é coisa para tolos que SÓ crêem na Bíblia e nunca se emocionaram com Nietzche e Leonardo Boff. Coisa de gente fina e entendida!

1. Para você os eventos de Gênesis 1 a 11 são:
A. Narrativa histórica da criação e da história do homem.
B. Uma peça literária que faz parte da mitologia judaica.
C. Uma descrição simbólica e figurada de como Deus criou a Terra e o homem.
D. Esses capítulos contém verdades espirituais sobre o homem mas não devem ser levados historicamente a sério.

2. O que é a Bíblia para você:
A. Uma porção de livros escritos durante a história que contém a Palavra de Deus.
B. A Palavra de Deus escrita por homens inspirados por Ele contendo tudo que precisamos para viver.
C. Um conjunto de escritos antigos que foram coletados e editados arbitrariamente pelo homem sendo impossível verificar qualquer autenticidade e veracidade de autores e datas.
D. Escritos que contém ricas e profundas verdades a cerca de Deus e do seu relacionamento com o homem e precisam ser entendidas à luz da Sociologia, Filosofia e outras ciências humanas.

3. Por que acontecem coisas ruins no mundo?
A. Porque o homem foi criado para fazer o bem mas optou por fazer o mal.
B. Por causa do homem que se rebelou contra Deus, sendo que este nada pode fazer a não ser interpelar pelo mesmo.
C. Por causa do pecado de Adão e Eva que Deus soberanamente permitiu que entrasse no mundo.
D. Porque o homem fez coisas ruins durante toda a História e logo está abandonado a sorte de seus atos.

4. Como você se sente com a afirmação “Deus sabe de tudo”?
A. É ofensiva porque significa que Deus sempre soube do Holocausto e dos massacres de Ruanda  e nada fez para impedi-los.
B. Libertadora porque significa que Deus cuida de nós.
C. Ilógico porque um Deus que sabe de tudo jamais permitiria que o mal entrasse no mundo.
D. Ilógico porque se soubesse de tudo me ajudaria um pouco mais aqui na Terra.

5. Qual das publicações abaixo foi a sua última leitura?
A. Algum livro da série Cinco Linguagens do Amor.
B. Algum livro dos autores: Philip Yancey, Brennan Manning, Ed René Kivitz, Brian Mclaren, Rob Bell.
C. Veja/Época/Folha de São Paulo/Metro.
D. A Bíblia.

6. O livro do Apocalipse é:
A. Revelações a cerca do que acontecerá nos últimos tempos revelando a ira e juízo final de DEUS sobre os ímpios e a redenção final dos eleitos.
B. Um conto mitológico do primeiro século D.C. muito comum naqueles tempos.
C. Uma história cheia de simbologias e figuras que está na Bíblia sabe-se lá por quê.
D. Pode ser entendido de qualquer forma menos como um julgamento divino porque afinal Ele é amor.

***

Agora vem aquele gabarito utilizando o Método Capricho de Pesquisa (muito usado por psicólogos e gurus):

1 – A(1); B(4); C(2); D(4)
2 – A(2); B(1); C(4); D(2)
3 – A(2); B(4); C(1); D(4)
4 – A(4); B(1); C(4); D(2)
5 – A(2); B(4); C(2); D(1)
6 – A(1); B(4); C(2); D(2)

Some os pontos para cada questão e confira o seu grau de ateísmo evangélico!

Acima de 20 pontos: você tem coragem mas passou do ponto. Ficou muito ateu e não sobrou cristianismo. Levou a sua inquietação e questionamento a frente de tudo e todos. Tem coragem de tomá-los às últimas conseqüências libertand0-se de preceitos, dogmas e do próprio Senhor Jesus Cristo. Continue assim do jeito que o diabo gosta!

De 15 a 20 pontos: está no caminho certo e será um ateu-evangélico conceituado. Consegue desfilar pela Filosofia, Psicologia, Sociologia e outras “ciências” humanas mas sempre as pincela com um pouco de Bíblia e jesus para dourar o ateísmo-evangélico. Conseguirá proeminência nos meios acadêmicos seculares ainda pertencendo às denominações evangélicas mais importantes do Brasil. Os outros cristãos descolados ao redor sempre o olharão com um grau de maravilhamento. Continue fazendo cara de conteúdo.

De 7 a 14 pontos: provavelmente ainda crê na Bíblia mas aceita e engole outras teorias que o antiquado do Paulo chama de fábulas e rudimentos do mundo. Gosta de ler salmos e ouvir as músicas da sua igreja assim como consome os livros da Editora Mundo Pagão Cristão. Já leu ou consumiu idéias de publicações como “As Cinco Linguagens do Amor”, “Outra Espiritualidade”, “É Proibido”, “A Cabana”, “O Evangelho Maltrapilho” e outras publicações que fazem parte da bíblia do ateu-evangélico.

6 pontos: você fez o gabarito inverso e fracassou na tentativa de ser descolado. Para você tenho duas notícias:

1. Apesar de ainda guardar a Palavra de Deus você nada mais é que um pecador miserável que carece da graça de Deus. Senão fosse por Ele estaria em maus lençóis.

2. Espero que ainda se lembre disso. Caso o contrário, sugiro o checklist do fariseu

Anúncios

Passo #4: Questionar é viver! Jogue tudo às favas: a Igreja, sua história e as doutrinas.

17 - setembro, 2010

“Quando você desperta para o fato de que foi moldado por eventos e tendências históricas, torna-se maior a possibilidade de mudar, de voltar para trás, para algumas das questões principais como: O que a princípio foi Jesus? Qual foi a sua mensagem, a sua missão? Como podemos nos realinhar para a mensagem e missão originais de Jesus em nosso contexto atual?”  (Brian Mclaren, papa emergente respondendo sobre a igreja descolada – tradução livre)

Você é um cristão descolado! Repita e brade para si mesmo essa afirmação. Abrace essa nova filosofia de vida que chega como música para os ouvidos. Colírio que refrigera olhos que se cansaram da igreja e de sua liderança míope mas bem-intencionada.

Ser descolado é questionar. Quanto mais descolado, mais questionador. Um genuíno ateu-evangélico é descolado de regras e condutas. Chega de recatos no namoro eclesiástico-gospel e silêncio respeitoso antes e durante o culto dominical. O passo seguinte é questionar a declaração de fé e as doutrinas, mesmo que a antiquada e grudada liderança reafirme o fundamento bíblico doutrinário (Hebreus 13:17). Questione! Viva! Por acaso foi um anjo ou o messias que escreveu a tal da declaração doutrinária?

O último e definitivo passo do questionador descolado é colocar contra a parede a própria Igreja. Afinal, quem mandou nos reunirmos dominicalmente? De quem foi a idéia de separarmos um momento da semana para nos reunirmos com outros cristãos? Por que afinal eu não posso assistir a Formula 1 ou curtir o Domingão do Faustão em paz e tenho que ir a um lugar chato povoado de “crentinos”?

Cristãos descolados reagem a essas perguntas de duas formas: a primeira é deixar de congregar e trocar o domingo-templo-clero-culto por sábado-barzinho-amigos-alegres. É a substituição total do momento de contrição e reflexão bíblica pelo “um chopps e dois pastel”. Uma comunhão etílica (para os amigos do blog é cafezística) que vai muito além dos momentos de Ceia Memorial.

A segunda resposta surge de cristãos menos descolados. Gente que ainda não conseguiu se descolar o suficiente e assim atingir altos níveis de proficiência no ateísmo-evangélico. Com medo de contrariar Hebreus 10:25-26 (ser só ateu é chato), essa gente ainda quer pertencer a uma comunidade (“igreja”). Só não querem o ônus de ouvir a Palavra de Deus exposta, cantar hinos genuinamente espirituais e experimentar regeneração e arrependimento.

O que resta a esses pobres infelizes?

Desqualificar a Igreja dos apóstolos é fundamental para qualificar a igreja dos sonhos do ateu-evangélico-descolado

A solução é mudar a igreja para torná-la um lugar mais agradável. Sem essa de confrontação bíblica, ensino da Palavra e processo de santificação dos eleitos. Que tal transformar a igreja em um lugar “plural“, de santidade frouxa e sem confrontações bíblicas? Por que não abrandar os temas bíblicos e transformá-los em paródias da auto-ajuda corporativa? E se ainda colocássemos um pouco de MPB, Jazz e Samba Rock para agitar um pouco deixando os cânticos espirituais de lado? Imagine um lugar onde tanto faz cantar João Alexandre, João Bosco ou João Gilberto? (Filipenses 4:8 / Colosseneses 3:10-16?!)

Esse é o pedaço do corpo de Cristo traduzido pelos ateus evangélicos. Seria perfeito e razoavelmente aceitável senão tivéssesmos 20 séculos de história da Igreja. Infelizmente alguns poucos santos durante a História levaram a sério o edificar a igreja no fundamento dos apóstolos e depois de Paulo e Pedro outros tantos viveram, escreveram e sofreram a Igreja de uma forma neo-testamentária. Apagar esse rastro deixado pelos santos não será fácil.

Por isso desqualifiquemos a História da Igreja. Fazer todo joelho e mente confessar que essa gente não serve e não se encaixa em nossa sociedade plural, pós-moderna, pós-missional, pós-cristã, pós-te-ídolo. Ninguém é qualificado o suficiente: Anabatistas, Calvinistas, Ingleses Puritanos, Luteranos. Nem Paulo, Pedro e Tiago. Até os ditos “inspirados por Deus” escreveram para uma gente que não tinha Twitter e iPhone, logo, não servem para nós. O que Paulo na sua carta aos Coríntios tem a dizer de relevante para as mulheres da igreja? E de que serve Tiago 2 e 3 a uma comunidade de empresários e executivos?

Desqualificar a Igreja dos apóstolos é fundamental para qualificar a igreja dos sonhos do ateu-evangélico-descolado. Se o Novo Testamento não é procedimento de fé e conduta para a Igreja, ficamos assim todos livres para fazer do nosso jeito igualzinho aos tempos dos Juízes (21:25).

Não será fácil, porque sempre haverá um chato fundamentalista bradando Gálatas 1:8, Efésios 2:20, Colossenses 1:26-28, I Pedro 1:10-15


Passo #3: Comece agora com a Escatologia carpe diem: ”Jesus já voltou! Você não viu?”

16 - junho, 2010

“Pois o que testemunhamos neste dia de Pentecostes é nada menos, senhoras e senhores, do que a volta de Cristo”

(Paulo Brabo em sua viagem na maionese)

Se você chegou ao terceiro passo é porque está realmente interessado em mergulhar fundo nos mares do ateísmo-evangélico. Com certeza ainda está atordoado pelo estado de maravilhamento que o levou ao questionamento de tudo o que você ouviu sobre o Evangelho. O frescor do renovo de liberdade das regras impostas pelo livro antiquado chamado Bíblia fez com que tudo fosse finalmente sujeito a uma nova e brilhante interpretação.

O terceiro passo consiste em colocar um pé firme nessa abordagem. Uma pá de cal em qualquer tentativa de interpretação literal da Bíblia. Um golpe no coração da hermenêutica, sim, aquela ciência antiga que tenta em vão interpretar e explicar os textos bíblicos observando a gramática interna do texto, a crítica textual e a cultura e contextos da época.

É hora de você eliminar qualquer crença que remeta à volta de Jesus Cristo!

As evidências da segunda vinda de Cristo nas Escrituras são inúmeras (Mateus 24:3; 24:27; 24:37 I Coríntios 15:23; I Tessalonicenses 3:13; 4:15; II Tessalonicences 2:1) mas se o passo 2 foi bem executado você já arranjou outra interpretação para esses versículos que não seja a volta real de Cristo. Afinal não faz nenhum sentido aguardarmos a volta de Jesus se esse mundo está tão legal, tão bonito, só precisando mesmo de uma ajudinha nossa para ficar melhor e aí sim colocarmos a cereja no bolo.

Por isso que a Escatologia deve ser morta. A expectativa da volta de Cristo nos faria lealmente esperar, confiar e servi-Lo (Filipenses 1:9-11). Infelizmente não podemos mais esperar por isso num mundo onde as necessidades são urgentes. Olhar os lírios do campo e as aves do céu? Poesia não supre as necessidades de ninguém! O importante é discutir sobre como encher melhor os nossos estômagos. Num tempo remoto os cristãos discutiam como se daria a volta de Cristo. Hoje nem discutimos a forma mas simplesmente ignoramos o fato e bradamos em alto e bom som que não precisamos mais da sua volta para implantar o Reino. Outrora tínhamos uma doce e errônea pretensão de que como igreja faríamos tudo pelo Senhor e Ele só voltaria para empurrar a bola ao gol. Atualmente cremos que já ganhamos o campeonato e o Senhor Jesus é um cartola que erguerá a taça e entregará o cheque.

Então seja mais homem-humano-independente e jogue no lixo essa esperança infantil de que Jesus vai voltar e nos levar com ele para a sua morada. Cristãos adultos e intelectualizados sabem resolver seus problemas sozinhos e não ficam anseiando a volta de um Messias que os resgate da sua miséria. Jesus disse: “Bem aventurados os pobres de espírito porque deles é o reino dos céus”. A igreja pós-moderna diz que o reino é esse mundinho mequetrefe portanto contente-se em fazê-lo funcionar.

Como se faz com uma privada velha entupida tente consertar o mundo para ver novamente a porcelana. Quando estiver afogado durante o conserto você poderá gritar feliz da vida:

“A volta de Cristo somos nós”


Passo #2: Mande o sobrenatural para o espaço: aplique a interpretação (pseudo) científica da Bíblia.

9 - maio, 2010

“…há sempre mais de uma possível leitura de um texto. Qualquer pessoa que se proponha a afirmar categoricamente o que a Bíblia diz, padece de falta de informação ou é desonesto intelectualmente.” (Blog Outra Espiritualidade)

Se está interessado no segundo passo rumo ao ateísmo-evangélico você já rompeu algumas barreiras. Com certeza você não está satisfeito com a sua igreja e com o que os pastores tem dito a respeito de Deus e da Bíblia. Aquilo que um dia você aprendeu numa aula de EBD ou num estudo bíblico doméstico já não serve mais. Talvez, prometeram que Deus resolveria os seus problemas mas nada mudou, nada aconteceu. Ou então você já se cansou de todo esse papo de Deus como diria o Dr. House e precisa de um “Renovo do senhor”.

Se a questão é decepção (não importando a origem) algo com certeza está errado pois nenhum milagre sobrenatural aconteceu na sua vida e tudo continua igual. Fatura do cartão não paga, chefe chato, empresa mala, pastor incompetente, problemas familiares… Algo cheira muito mal no seu domínio evangélico.

Um bom ateu-evangélico ainda crê na Bíblia, do seu jeito mas crê

Você e eu não podemos estar errados. Deus também é muito bom e perfeito para estar errado. Miremos as nossas críticas e ceticismo para ela, sim! As Escrituras Sagradas!

Lembre-se que não ridicularizemos a Bíblia ou a encostaremos de lado. Sem ela você seria apenas um simples ateu abandonado no mundo e não queremos isso certo? Um bom ateu-evangélico ainda crê na Bíblia, do seu jeito mas crê. Ele apenas arranca alguns elementos que não são adequados para um intelectual antenado e multi-facetado. É preciso uma nova hermenêutica, uma interpretação que seja adequada aos anseios desse povo que quer uma espiritualidade  sem largar o iPhone e o cartão de crédito. Gente que quer um deus e até aprecia Jesus mas não quer mudar o estilo de vida e abandonar vícios e ídolos do coração.

Esqueça algo tão “old-school” como interpretação literal e sentido autoral do texto

Acordemos assim: ainda falaremos que Jesus salva, que Deus é bom e amoroso. Alguns pormenores nós sutilmente varreremos para debaixo do tapete.

1. A Bíblia é a sua única fonte e regra de vida: para caminhar no ateísmo-evangélico você precisa crescer intelectualmente e beber de outras fontes. Um seminário sério não é o bastante para a liderança da igreja. Ela precisa ir para a USP ou a UFRJ estudar Sociologia e Psicologia (a UNIMEP também serve). Não se baste com o Espírito Santo e os escritores bíblicos. Esqueça II Timóteo 3:16.

2. Elimine os textos sobrenaturais ou dê uma interpretação humanista: origem do Universo baseado em Gênesis, você ainda acredita nessa fábula? Como Moisés pode argumentar contra o Carbono 14? Como Deus Poderoso criou tudo em 7 dias? E o mar vermelho? Abriu mesmo? Era vermelho? Esqueça o sobrenatural e encontre explicações (pseudo) científicas que contradizem os textos bíblicos. Assistir toda semana o Discovery Channel será um bom começo.

3. Interpretação é como time de futebol: cada um tem a sua. Você pode ser católico da missão integral marxista tanto quanto você gosta do Corinthians ou super calvinista porque gosta mais do Palmeiras. Esqueça algo tão “old-school” como interpretação literal e sentido autoral do texto. É possível saber a intenção autoral de Paulo ao escrever cartas às igrejas (pergunte-me como)? Questione os manuscritos, as traduções e os papiros mas sem entendê-las sob o risco de recaída. Ah, passe longe do Salmo 119 principalmente do verso 60.

4. Coloque a moral e ética da Bíblia em dúvida: um ateu-evangélico que se preze vai dar um jeito para encaixar a Bíblia em seu baixo padrão moral. Roubo pode não ser roubo mesmo que seja contra um governo brasileiro corrupto ou uma indústria do entretenimento zilionária (sim estou falando de pirataria). Mentira pode não ser pecado se tiver um contexto pernicioso. Pecado não é mais desobediência e sim doença ou neura explicada por Freud. Leia menos textos como João 14:15 e I João 3:10 e repita fora de contexto I Coríntios 6:12. Aquele versículo que na nova versão emergente diz: “todas as coisas me são lícitas então posso fazer o que quero”.

Se você quer mudar Deus e a Igreja comece pela forma como você lê a Bíblia. Quando dominar essa técnica estará apto para finalmente substituir a Bíblia por livros de auto-ajuda escritos por gente famosa de dentro e fora do mundinho evangélico.

Você vai até engolir os livrinhos da editora Mundo Cristão sem nem dar um arrotão!


Passo #1: Como os gregos e etruscos questione tudo filosoficamente e coloque as Escrituras contra a parede.

11 - abril, 2010

“O começo de todas as ciências é o espanto de as coisas serem o que são”
(Aristóteles numa tarde quente de verão na Grécia antiga)


O sobrenatural ou espiritual está aí. Você pode ser um ateu radical que nega isso, mas ao fazê-lo você ao menos já percebeu que existe algo além do que vimos e pegamos. O homem desde o princípio tenta explicar como se dá essa relação entre o homem e o divino. Onde estará a linha entre o lado de cá e o de lá? O material e o sobrenatural, o tangível e o intangível?

Ninguém mais acredita na Hermenêutica e na existência dos autores bíblicos.
Nem o Pato Donald.

Sobre isso a Bíblia diz que no começo Deus andava no jardim próximo ao homem e que isso durou pouco (Gênesis 3:8). Nem o Saci acredita mais nessa história de Adão, Eva, Éden, Serpente, Dilúvio. Há igrejas mais modernas que ensinam que Noé foi um mito como o Hércules e o Pato Donald. Coisa chique, afinal não cai bem à Igreja ficar ensinando fábulas todo domingo.

Seguindo esse último exemplo percebi que o ateísmo evangélico para ser relevante precisa ler a Bíblia com outros olhos. Antigamente a boa Hermenêutica (ciência da interpretação) dizia que a intenção autoral era importantíssima para se extrair o sentido literal do texto. Inútil! Os autores do Antigo Testamento (Moisés, Samuel, Daniel) também são tratados com descrédito e considerados mito. Ninguém mais acredita na Hermenêutica e na existência dos autores bíblicos. Nem o Pato Donald.

Existe gente que pode embasar melhor as nossas idéias a cerca da Bíblia. Contra esses nada se pode dizer. Eles são senso e consenso comum, fazem parte do panteão da sabedoria humana. É uma velha tática de legitimação: use gente antiga (de preferência morta há muito tempo) para rubricar as suas idéias.

O segredo desses homens era questionar tudo para enfim ver a luz da razão. Questionem tudo e coloquem o próprio Deus no banco dos réus.

Sob esses requisitos os pensadores gregos são perfeitos. Esses iluminados praticamente inventaram o pensamento humano. Gostaria de estar lá para saber como foi o processo de invenção da razão e pensamentos humanos. Que métodos? Que experimentos? Incrível que numa tarde de verão na Grécia meia duzia de filósofos tenham inventado o pensamento humano.

Sim! Invoquemos Platão, Aristóteles e Sócrates. Eles sim podem extrair da Bíblia com a sua filosofia ensinamentos a respeito da verdade, da justiça e do bem para cumprir o nosso ideal  platônico. Podemos com a ajuda de Aristóteles extrair verdades espirituais antes  ocultas no meio da letra e experimentar um estado de maravilhamento quando finalmente perguntaremos: “Como ninguém percebeu isso antes? De onde esse pastor conseguiu extrair um sentido tão espiritual para esse versículo?”

O segredo desses homens era questionar tudo para enfim ver a luz da razão. Nada deverá ser poupado nesse processo. Questionem as doutrinas, o Corpo de Cristo, a salvação em Jesus e coloquem o próprio Deus no banco dos réus. Afinal foi assim que gregos e etruscos com suas caravelas saíram do mito ao maravilhamento humanista.

Por fim, três mitos que devem ser derrubados nesse seu primeiro passo rumo ao ateísmo evangélico:

1. Há coisas na Bíblia que não podem ser compreendidas: entenda tudo nesse mundo e além pela sua razão como 2+2 são 4 (lembre-se dos gregos e etruscos).

Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:do pecado, porque não crêem em mim;da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais;do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir (João 16:8-13).
2. A Bíblia e os seus ensinamentos são literais:  será que os autores bíblicos não tinham motivações políticas, sociais e obscuras ao escrever os textos? Você acha que Deus ia querer matar os egípcios, amalequitas e os filisteus? Você ainda pensa que Israel era povo escolhido mesmo ou já se convenceu de que puxaram a sardinha para a sua brasa? E você acha que Paulo mesmo perseguido obedecia às autoridades ou esse foi um “jeitinho romano” para que as suas cartas circulassem livramente?
Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia. (Romanos 9:14-15)
Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra? Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição. (Romanos 9:20-22)
3. O ensino dos apóstolos no Novo Testamento é a agenda da igreja atual: outro equívoco. Quem imagina nos dias de hoje repartir os bens para que alguns não passem fome? Não é absurdo e ultrajante alguns deixarem de comer carne por amor ao proximo ou as mulheres serem submissas aos seus maridos e permanecerem caladas? E a confissão de pecados? Coisa mais inconveniente e invasiva não acha?
Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema. (Gálatas 1:6-9)
Assim já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito. (Efésios 2:19-22)
Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo. (Colossenses 2:8)

Se quiser mistificar a Bíblia e sua história não leia as passagens.

Pare de ler a Bíblia e tudo ficará mistificado num piscar de olhos!

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós, sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, (II Coríntios 10:5)


10 passos para o ateísmo evangélico

11 - março, 2010
  1. Como os gregos e etruscos questione tudo filosoficamente e coloque as Escrituras contra a parede.
  2. Mande o sobrenatural para o espaço: aplique a interpretação (pseudo) científica da Bíblia.
  3. Comece agora com a Escatologia carpe diem:  “Jesus já voltou! Você não viu?”
  4. Questionar é viver! Jogue tudo às favas:  a Igreja, sua história e as doutrinas.
  5. Checklist liberal: você ainda acredita no Deus soberano e poderoso?
  6. Oração: descubra essa nova e definitiva abordagem que  funciona (comigo pelo menos).
  7. A metodologia Zeca Pagodinho de pastoreio e aconselhamento: “Deixa a vida me levar, vida leva eu”.
  8. Universalismo e Aniquilacionismo: a sua comunidade ainda abraçará essas idéias.
  9. Espiritualidade: seja cool.
  10. Viva a utopia agnóstica.

Você se cansou dos estudos bíblicos comuns e das pregações enfadonhas do pastor? Acha que a sua igreja está atrasada no tempo? Quer um cristianismo mais antenado e multi-facetado?

Prepare o seu estômago e siga os passos dessa nova série para tornar a doutrina e prática da sua igreja mais parecida com o que há de mais revolucionário e humanista. Será uma experiência liberal, pós-evangélica, missional, poética e principalmente muito da chique e metida à Besta!

Não vai ter muito de Bíblia mas quem liga pra isso nos dias de hoje? O ateísmo evangélico vai de “F“reud a “N“ietzsche, de “B“arth a “R“ogers. No meio das iniciais de tantos autores humanistas você vai encontrar um “j” de Jesus pra justificar a parte evangélica desse novo jeito de ser [ateu] cristão.

Para achar Jesus no glossário ateu-evangélico será um pouco difícil! Estará oculto debaixo do “J” de Jung!