Provocando a Ira

7 - setembro, 2010

Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus. (Tiago 1:19b-20)

A ira é um mal que assola o homem desde o princípio dos tempos. Caim foi o primeiro assolado sendo o tal do Abel a primeira vítima. Irado é o que somos. É como diz Isaías 59: não tem um justo sequer por aí. Todos somos rápidos no gatilho da ira e ligeiros em disparar impropérios, socos e pontapés contra aqueles que nos contrariam.

Ao contrário do que muitos pensam, a ira não é um sentimento ou uma emoção que nos toma e cega. Ira é uma ação que tomamos face a uma situação que nos contraria, ou que abala o nosso senso de justiça. Vivemos várias situações cotidianas que podem nos suscitar a ira. De uma fechada no trânsito caótico da cidade ao besta-chefe que insiste em nos fazer sofrer. Tudo e todos podem desencadear arroubos de ira que nos fariam esmagar os cérebros e vísceras daqueles que se opõem ao nosso senso de certo e justo.

Todo irado sofre. Por dentro ou por fora! É o que Provérbios chama de doer os ossos (7:8).  Você pode brigar com todos e bradar impropérios tendo um ataque nervoso ou “um dia de fúria”. É possível que você seja um daqueles que engolem o choro e sofrem por dentro, transformando assim o pranto em úlcera.

O que fazer então para combater tal sofrimento e tristeza?

Se você é cristão e ainda acredita na Bíblia de verdade, tenha em mente que:

1. Ira e ódio é pecado (I João 2:9). Nada justifica que você odeie o próximo, mesmo que ele seja um babaca dirigindo um Golf GTI socado no chão cortando todos a 140 km/h (Lucas 6:27-28). Jesus e João são claros quanto ao ódio, mesmo que possa parecer justificado. Se você se ira a ponto de sair do controle e respirar ódio (Efésios 4:29-30), está desagradando a Deus e seu Espírito (Gálatas 5:20).

2. A sua ira geralmente é injustificada (Efésios 4:26). Se você não está expulsando os mercadores do templo de Herodes, ou defendendo alguma causa biblicamente justificada por Deus a ira é pecaminosa (Provérbios 10:11;32). Antes que se justifique, frequentemente somos egoístas e damos mais importância em levar vantagem em nossos direitos (Provérbios 29:7). Duvido que se quer 10% de nossa ira seja motivada por ver o nome de Deus sendo jogado no lixo por causa da injustiça e da impiedade desses dias maus.

3. Vigie seu senso de justiça. Se você se ira com muita frequência é porque no final das contas você gosta de brincar de  Deus. Como diz Tiago 4:11-12: você acha que a sua lei particular é superior a Lei?  Pensa que está na hora de alguém legislar contra essa gente folgada que habita essa terra mequetrefe? É hora de colocar ordem pelo menos nos seus arraiais domésticos? E quem melhor que vossa majestade para executar a lei perfeita e fazê-la valer? Quem nunca pensou em jogar uns raios nesse povo assim como faz o Imperador Palpatine?

4. Não se justifique do seu pecado (I joão 1:8). Deixe isso para os psicanalistas e gurus de plantão que são (muito) bem pagos para achar culpados entre alguma mãe protetora ou um astro que colidiu com os anéis de Saturno. Você não precisa olhar para o pecado dos outros para achar a razão do seu sofrimento. De vez em quando é bom fazer como Jesus ordenou (Mateus 7:5): deixar de olhar o cisco no olho do outro e olhar o toroço que está bem na sua frente!

A ira é devastadora no homem. Causa culpa, ceticismo e sadismo cauterizando o coração em cinzas. Transforma o vigor em apatia como o leite pode se transformar em sangue (Provérbios 30:33). Irar-se e defender-se desse mundo cruel retaliando tudo e todos pode parecer uma escolha bem sensata e razóavel…

Assim como a sensatez de um porco que adora chafurdar na lama.

Dica:

Se você tem problemas de ira como eu, recomendo a leitura além dos textos de Tiago, Provérbios e Efésios 4 e esse livro que me ajudou um bocado: JONES, Robert, Ira – Arrancando o Mal pela Raiz – NUTRA

Planos Infalíveis

20 - maio, 2010

O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR. Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR pesa o espírito. Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos (Provérbios 16:3-1).

Práticas lições dessa passagem:

1. Podemos fazer planos. Mesmo que não fosse permitido continuaríamos a fazê-los. É parte de nossa natureza e nesse mundo mau isso ainda é mais estimulado pelo materialismo banal e o carreirismo que perseguimos. Faculdade significa carro zero financiado. MBA é promoção e um bônus gordo para dar entrada no “Minha Casa Minha Vida”.

2. Aos nossos olhos todos os caminhos são puros. Vale a máxima de que o importante é a “intenção pura do coração”. Momento, tempo, intento que nos faz entrar muitas vezes em roubadas.

3. Deus sabe o que é melhor porque ele pesa o espírito. Quem conhece a real intenção do coração do homem? Quem pode distinguir entre verdade e mentira? Quem conhece afinal todas as coisas?

4. Desencane e viva dEle, por Ele e para Ele. Vais economizar muito Prozac e Paracetamol.


Boca e dedo

7 - maio, 2010

O coração do sábio é mestre de sua boca e aumenta a persuasão nos seus lábios (Provérbios 16:23).

Controlar boca e mente. Pensamentos e principalmente o que se fala.

Uma vez que falou besteira já era. Em público você sempre será lembrado pelo tamanho da asneira. Quanto maior, pior.

Difícil é ser mestre da sua boca e falar apenas o necessário. Domínio próprio é um dom do Espírito raro nesses dias maus  de Twitter onde o sábdio deve controlar o dedo.

Para não se arrepender depois da cornetada!


Quando pisamos na bola

16 - março, 2010

“O ódio excita contendas mas o amor cobre todas as transgressões (Provérbios 10:12)”

Amor e misericórdia formam um binômio interessante. Andam lado a lado. Quando erramos, Ele é fiel e justo para nos perdoar (I João 1:9).

Nosso alvo deve ser Cristo e obedecer a sua palavra. Ainda não somos perfeitos e deslizes podem acontecer. Quando tudo mais falhar o amor do justo encobre as trangressões.

Senão fosse assim onde estaríamos agora?