Porque acredito na igreja (Efésios responde)

19 - março, 2010

“a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo (Efésios 1:12)”

Já manifestei diversas críticas a como algumas decisões e atos ocorrem na igreja. Sem dúvida algumas vezes o Corpo de Cristo é mal tratado isso quando não é vilipendiado, saqueado e usurpado.

Esses tristes fatos não me dão o direito de questionar a igreja ou desqualificá-la como agente de Deus nesse mundo.

“A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor, pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele (Efésios 3:8).”

O mistério de Deus chamado Igreja é o único agente de Deus que pode trazer sua sabedoria ao mundo. Eliminá-la dos planos de Deus é riscar a sua sabedoria do mapa.

Pessoas cansadas e maltratadas no ambiente da igreja tem a apedrejado. Pastores da moda descolados ou não do alto de seus púlpitos gritam aos quatro cantos que a igreja deve renascer sobre um novo paradigma. Sob uma nova égide de total inclusão e permissividade os líderes emergentes prometem um renovo (não do Senhor) que permite uma nova organização dos seguidores de Jesus.

Esse não parece ser o paradigma de Efésios:

“Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito. (Efésios 2:19-22)”

Se “estrangeiro”, “santuário” e “peregrino” indicam uma clara separação entre alguns e outros gostaria de entender porque a necessidade de tanta afirmação de inclusividade total. Crescer sobre uma base (Cristo) e ajustando-se a uma estrutura (edificar) não parecem relatar a idéia de “igreja mínima”, do liberou geral!

Engraçado que os pastores emergentes tupiniquins são esquerditas e estatizantes na sua política mas neoliberais-privatizantes na sua Eclesiologia. Esse infelizmente é o espírito da época que precisa abraçar e ser aceito por tudo e todos.  É assim que pensa essa gente do “contra tudo que está aí” jogando o ensino dos apóstolos do Novo Testamento no lixo. Ouvi esses dias pastor batista famoso dizendo que não gosta de igreja nem de crente.

Felizmente Deus através das Escrituras manifesta-se de forma oposta. Devemos ser gratos e honrados por ter sido escolhidos pelo Pai para fazer parte de sua eleição. É dentro e não fora da igreja que seremos transformados em justiça e santidade. Será no fundamento dos apóstolos que a igreja cumprirá a sua real e única vocação: glorificar o Pai.

Sendo assim, temos duas opções dadas por Efésios 4:

A primeira:

“Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.”
Ou a segunda:
“Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos”
Anúncios

10 passos para o ateísmo evangélico

11 - março, 2010
  1. Como os gregos e etruscos questione tudo filosoficamente e coloque as Escrituras contra a parede.
  2. Mande o sobrenatural para o espaço: aplique a interpretação (pseudo) científica da Bíblia.
  3. Comece agora com a Escatologia carpe diem:  “Jesus já voltou! Você não viu?”
  4. Questionar é viver! Jogue tudo às favas:  a Igreja, sua história e as doutrinas.
  5. Checklist liberal: você ainda acredita no Deus soberano e poderoso?
  6. Oração: descubra essa nova e definitiva abordagem que  funciona (comigo pelo menos).
  7. A metodologia Zeca Pagodinho de pastoreio e aconselhamento: “Deixa a vida me levar, vida leva eu”.
  8. Universalismo e Aniquilacionismo: a sua comunidade ainda abraçará essas idéias.
  9. Espiritualidade: seja cool.
  10. Viva a utopia agnóstica.

Você se cansou dos estudos bíblicos comuns e das pregações enfadonhas do pastor? Acha que a sua igreja está atrasada no tempo? Quer um cristianismo mais antenado e multi-facetado?

Prepare o seu estômago e siga os passos dessa nova série para tornar a doutrina e prática da sua igreja mais parecida com o que há de mais revolucionário e humanista. Será uma experiência liberal, pós-evangélica, missional, poética e principalmente muito da chique e metida à Besta!

Não vai ter muito de Bíblia mas quem liga pra isso nos dias de hoje? O ateísmo evangélico vai de “F“reud a “N“ietzsche, de “B“arth a “R“ogers. No meio das iniciais de tantos autores humanistas você vai encontrar um “j” de Jesus pra justificar a parte evangélica desse novo jeito de ser [ateu] cristão.

Para achar Jesus no glossário ateu-evangélico será um pouco difícil! Estará oculto debaixo do “J” de Jung!


Ausente por enquanto

4 - novembro, 2009

Enquanto ocupado com a recém-paternidade, aproveitem esse interessante post analisando as ladainhas de Rob Bell.

http://paoevinho.wordpress.com/2009/07/30/o-evangelho-diludo-de-rob-bell/

A forma pode parece interessante mas o conteúdo é anti-bíblico. No popular: “bonitinho porém ordinário”.

Em uma igreja “batista” grande da Zona Norte/Oeste de São Paulo (que não vou dizer o nome) Rob Bell e o seu “Velvet Elvis” é livro de cabeceira da liderança.

Quanta farofa!


Vale tudo ou não vale?

30 - julho, 2009

Ouvi de um pastor “celebridade gospel” que podemos flexibilizar a “lei” com a prerrogativa de aumentar a fileira de fiéis na igreja. O que poderíamos chamar de evangelho super-inclusivo e sem restrições. E aí? Será que vale tudo mesmo?

Será a lei de Deus e sua Palavra (quando ele fala sobre lei, ele não se restringe ao Pentateuco)  cabível de flexibilização em nome da propagação do evangelho? Será que devemos confiar em nossa consciência e bom senso para julgar quando obedecer ou não? Devemos ignorar II Timóteo 3:16 e toda as ordenanças normativas da Bíblia?

Segundo esse pastor devemos “obedecer a nossa consciência regenerada”. Quem segue a lei sempre é “tolo ou infantil”. Os que conseguem flexibilizar a lei em nome da inserção são  “santos e maduros”.

Então sou tolo, infantil e imaturo… Precisando ainda muito de Jesus como o próprio apóstolo Pedro disse:

Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente, pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada.

(I Pedro 1:22-25)


Gente que valoriza misericórdia e graça

15 - julho, 2009

O tópico mais importante nas linhas finais da carta de Paulo aos Romanos é o que ele fala sobre gente.

Faça um exercício nos capítulos 15 e 16 e procure aqueles que:

  • São irmãos na fé e valem mais como irmãos de sangue.
  • Estão sempre com você até nos momentos mais difíceis. Como na prisão ou no fundo do poço.
  • São como mães e pais não por parte genética, mas por carinho, cuidado e adoção.
  • Um casal que sempre coopera com você. São mão na roda e te ajudam no que você precisar.
  • Pessoas que amam trabalhar e servir ao Senhor. Não cansam trabalhando de forma exaustiva e alegre.
  • Os que não negam abrir a sua casa e preparar um café gostoso e um pão quentinho.

E infelizmente:

  • Aqueles que não querem servir a Deus mas sim massagear o seu ego.
  • Usam a igreja como meio de promoção pessoal ou ganância financeira.
  • Geram divisão e confusão pervertendo a sã doutrina.
  • Como disse Paulo: o deus dessa gentinha é o estômago!

Espero sempre encontrar essa gente graciosa que asperge misericórdia por causa de Jesus Cristo. Mais que isso, desejo que o Espírito de Deus me capacite para poder agir assim na vida das pessoas.

Deus me livre de encontrar essa gentinha que age como ministros de Satanás na igreja!

Deus me guarde de ser um deles!


O boletim da igreja diz tudo

8 - julho, 2009

Estou ouvindo uma série de palestras sobre homilética do Jay Adams de 1989 disponíveis no site da Editora Fiel.

Uma coisa muito interessante que ele mencionou refere-se ao conteúdo do boletim da igreja. Aquele folheto dobrado pode contar muito sobre a vida do Corpo e a doutrina saudável ou herética. Preste atenção em tudo, desde a lista de eventos e atividades, os avisos e principalmente os textos que são colocados (pastorais, artigos, devocionais).

O calendário de eventos revela muito sobre qual a agenda prioritária da igreja. Quais são os eventos que predominam? Estudos e classes bíblicas? Reuniões sociais (tarde da pipoca, noite do sorvete, chá das senhoras)? Atividades de caridade e bem-estar social? Uma predominância de um tipo de evento (ou a ausência de algum) pode revelar se a igreja é preocupada com o crescimento em maturidade e comunhão do Corpo.  A quantidade de eventos denota o nível de atividade embora não necessariamente uma igreja com muitos eventos seja um Corpo realmente vivo.

A minha sessão preferida é a das pastorais. Uma porção de texto escrito num pedacinho de papel durante várias semanas conta muito sobre o que pensa a liderança da igreja e qual a sua posição teológica.

Exemplos:

  • Qual é o tópico favorito? Teologia, filosofia? Problemas recorrentes da igreja? Dúvidas existencias? Atualidades do Fantástico? Veja se o assunto do boletim é com frequência a Veja.
  • Tem com frequência textos motivacionais recheados de auto-ajuda e psicologia barata (redundância). Não sabe do que estou falando? Você nunca recebeu por e-mail um desses powerpoints com figuras bonitas e frases açucaradas?
  • Quando os textos tem referências bíblicas (ufa!), é aplicada uma hermenêutica saudável (i.e. gramático-histórica) ?
  • O seu pastor gosta de citar outros autores de nomes famosos? C.S. Lewis? OK. Ah, ele é moderninho e gosta de falar de Paul Tillich, Karl Barth e Bonhoeffer? Teólogo liberal à vista! Está citando Brian Mclaren e Rob Bell?Pastor emergente que não crê mais tanto assim na Bíblia!

O que?! Colocou além de todos estes o Paulo Brabo no boletim? Então além de liberal e emergente a sua igreja é bastante descolada.


O que penso do dízimo

15 - junho, 2009